Uma cidade em transformação

Sede de grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 e outros acontecimentos importantes, como a conferência Rio + 20, já em 2012, o Rio de Janeiro se tornou a vitrine internacional do Brasil. Para atender às demandas geradas pelos eventos e pelo crescimento econômico do Estado e do município, uma série de obras e projetos estão sendo realizados para melhorar o transporte público e o trânsito. O Rio Ônibus, aliado à Fetranspor e às empresas de transporte do Rio, tem dado grande contribuição ao poder público para o planejamento e a execução destes projetos, que estão transformando a mobilidade urbana de toda esta região. Veja abaixo detalhes dos dois mais importantes sistemas implementados nos últimos anos: o BRS e o BRT.

Clique nas figuras abaixo e informe-se:

BRS: Testados e aprovados os corredores preferenciais para ônibus

Um dos grandes desafios cotidianos é melhorar a fluidez do trânsito nas principais vias da Cidade Maravilhosa e proporcionar transporte coletivo rápido e de qualidade. A resposta da parceria entre a Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro e o Rio Ônibus foi o Bus Rapid Service, BRS, um sistema de corredores expressos com faixas preferenciais para tráfego de ônibus monitoradas pela Prefeitura, que em menos de um ano de implantação gradual obteve 85% de aprovação popular.

Esta operação conta com a padronização da informação nos pontos de ônibus, que possuem mapas dos arredores e localização dos agrupamentos de linhas atendidas por ponto, bem como itinerário e pontos de interesse atendidos. Além disso, há melhoria da sinalização horizontal, correção e nivelamento de calçadas e meio-fio, e recapeamento das vias que não receberam o programa Asfalto Liso, benfeitorias estas vindas da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos.

BRS Zona Sul

O projeto, executado em etapas, inclui 21 vias de maior fluxo do Rio de Janeiro. A Avenida Nossa Senhora de Copacabana e as ruas Barata Ribeiro e Raul Pompeia, em Copacabana, receberam os primeiros corredores em 2011. A operação envolveu a racionalização das linhas, o escalonamento de pontos de embarque e desembarque e respectivas identificações com placas e adesivos, a proibição do tráfego dos demais veículos pelas faixas azuis, com exceção dos táxis com passageiros e carros de serviços, e muita orientação à população. O carioca passou a atravessar o bairro, de ônibus, em um tempo 40% menor, e taxistas e motoristas de carros particulares também ganharam agilidade nesta travessia.

No segundo semestre de 2011, o BRS entrou em operação na Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon, e na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema. Pouco depois, o serviço se estendeu às ruas Prudente de Moraes e General San Martin. Em agosto de 2014, o bairro beneficiado com o novo serviço foi Botafogo, com os corredores Voluntários da Pátria e São Clemente. Os 17 pontos de embarque e desembarque ao longo dos 6,5  quilômetros (3,0 quilômetros na Rua Voluntários da Pátria e 3,5 quilômetros na Rua São Clemente), desde a Praia de Botafogo até a Rua Humaitá reorganizando todo o trânsito da região.

BRS Centro

Em 17 de dezembro de 2011, o BRS do Centro inaugurou sua operação na Avenida Presidente Antônio Carlos e também na Rua Primeiro de Março. O novo BRS seguiu regras semelhantes às aplicadas nos bairros de Copacabana, Ipanema e Leblon: a pista demarcada é preferencial para ônibus, carros de serviço e táxis com passageiros.

As 71 linhas do BRS Centro se dividiram em cinco grupos. Além dos BRSs 1, 2 e 3 já em operação na Zona Sul, foram criados os BRSs 4 e 5 com seus respectivos pontos de parada. Na Avenida Presidente Antônio Carlos, o sistema funciona na pista central e na lateral, mas, devido ao fluxo, a demarcação para ônibus só existe na lateral direita.

Para valorizar os aspectos turísticos e culturais da região, os abrigos e totens nos pontos de ônibus contêm informações de locais de interesse nos mapas de localização, um dos padrões adotados pelo serviço. Na segunda fase, a implantação de BRSs no Centro se estendeu às avenidas Rio Branco, em janeiro de 2012, e Presidente Vargas, em 03 de março deste mesmo ano.

Em agosto de 2013, as faixas exclusivas foram ampliadas até o Estácio nos dois sentidos para diminuir o tempo de travessia entre o Centro e este bairro. As linhas de ônibus municipais e intermunicipais que trafegam pelas ruas da Carioca, Visconde de Rio Branco, Frei Caneca, Salvador de Sá, Estácio de Sá e João Paulo I se dividiram entre os BRSs 1, 2, 3, 4 e 5, agrupados e escalonados de acordo com a demanda da população.

BRS Zona Norte

A operação do BRS no trecho Estácio – Saes Peña começou em setembro de 2013. O tráfego dos ônibus foi ordenado ao longo dos 3,5 quilômetros entre as rua João Paulo I e General Roca, passando pela Rua Doutor Satamini, Avenida Heitor Beltrão e Rua Conde de Bonfim. Esta etapa completou o corredor de aproximados seis quilômetros entre o Largo da Carioca até a Praça Saes Peña. As 33 linhas que circulam entre a Rua Haddock Lobo e a Avenida Almirante Barroso também foram reorganizadas com a chegada das faixas azuis.

Neste ínterim, outras vias da Zona Norte se preparavam para receber o sistema. Em novembro de 2013, a Prefeitura inaugurou o BRS na Rua 24 de Maio, que resultaram na reorganização do trânsito e do transporte público por ônibus da região. O BRS 24 de Maio corresponde a 2,8 quilômetros, desde a Rua São Francisco Xavier, no Maracanã até a Rua 24 de Maio, na altura da Rua Souto Carvalho, no Méier, com oito pontos de parada. Desta forma, o tempo de viagem neste percurso foi reduzido em 20%. No começo de 2014, as faixas exclusivas foram implementadas na Avenida Marechal Rondon, passando pelas ruas Hemengarda, Padre Roca e Maria Antônia com os BRSs 3, 4, 5 e 6, o mesmo agrupamento do BRS anterior.

Em maio de 2015, a faixa exclusiva foi implantada na Rua Teodoro da Silva, em Vila Isabel. No trajeto entre as ruas Barão do Bom Retiro e Pereira Nunes, que corresponde a 2,1 quilômetros, os pontos de embarque e desembarque se agruparam em BRSs 2, 6 e 7; e BRSs 4, 5 e I (Intermunicipal). Este é o 12º corredor expresso incluso no projeto. Em julho, foi inaugurado o corredor na Rua Barão de Santa Isabel, entre as ruas Barão de São Francisco e Barão do Bom Retiro, completando 52,8 quilômetros de vias preferenciais na cidade do Rio.

  • brs_01
  • brs_02
  • brs_03

BRT: corredores exclusivos e ônibus articulados interligando a cidade

A sigla BRT significa Transporte Rápido por Ônibus, que tem origem do nome em inglês Bus Rapid Transit. É um sistema de transporte que utiliza modernos ônibus articulados de grande capacidade em faixas de trânsito exclusivas proporcionando, assim, mobilidade urbana veloz e confortável. Por ser um transporte rápido, foi apelidado de “Ligeirão”.

Como o BRT opera em faixas exclusivas para ônibus, há fluidez na sua operação, ou seja, o trânsito não congestiona nesta via. Deve contar com faixas de ultrapassagem nas estações para permitir que, além do serviço parador, haja também serviço expresso que não para em todas as estações, aumentando a capacidade do sistema e a velocidade média do corredor, reduzindo os tempos de viagem. A estimativa é que o sistema beneficie cerca de 400 mil passageiros por dia e reduza para mais da metade o tempo de viagem.

Ao invés de pontos de ônibus, o BRT utiliza estações e terminais fechados. Eles são projetados para garantir máxima agilidade nas paradas. O pagamento da passagem será feito somente através dos cartões Rio Card e Bilhete Único (RJ e Carioca), validados na entrada da estação. O embarque pode ser feito por qualquer porta e os passageiros não precisam percorrer o corredor do ônibus para validar o cartão e desembarcar porque não existe catraca. Para agilizar, embarque e desembarque são feitos no mesmo nível, com o piso da estação na mesma altura do piso do ônibus, aumentando assim o conforto e a segurança dos passageiros, além de proporcionar acessibilidade aos idosos e deficientes físicos.

Serão quatro corredores expressos – TransCarioca, TransOeste, TransOlímpica e TransBrasil. Dentre eles, dois foram priorizados, visando a viabilização da mobilidade urbana para a realização de dois megaeventos esportivos mundiais – a Copa do Mundo (2014) e os Jogos Olímpicos (2016):

TransCarioca

Com 39 km de extensão, o corredor TransCarioca ligará a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), além de mais de 10 bairros adjacentes ao traçado, entre eles Jacarepaguá, Madureira, Penha e Ilha do Governador, permitindo a integração física e tarifária com outros modais, como a SuperVia e a linha 2 do Metrô.

TransOeste

Este corredor expresso, de 56 km, irá ligar o Jardim Oceânico (início da Barra) ao Recreio, Guaratiba, Santa Cruz e Campo Grande. Este BRT prevê a construção de viadutos, pontes e 53 estações de transbordo (para ônibus articulados de linhas expressas e paradoras), ao longo de todo o traçado da Avenida das Américas, além da integração com os corredores TransCarioca e TransOlímpica e com a linha 4 do Metrô, passando pelo Túnel da Grota Funda, interligando toda a Zona Oeste.

  • brt_01
  • brt_02
  • brt_03
+ EM Rio Ônibus
+ ÁREAS DO SITE
Voltar para o topo
 

Rio Ônibus

Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro - Rio Ônibus



© Rio Ônibus 2015 - Todos os direitos reservados

Criação e Desenvolvimento:   Desenvolvido por Ideiatrip

www.ideiatrip.com.br

;

Direção de arte:
Vlad Calado
Design:
Daniel Uhr e Andressa Luz
Desenvolvimento:
Jonathas Guerra e Bruno Costa
Fotografia:
Arthur Moura

 
Popup Dialog Box Powered By : XYZScripts.com