/ NOTÍCIAS

Rio Ônibus alerta: por falta de diesel, serviço de transporte está ameaçado a partir desta quarta-feira

O Rio Ônibus alerta que, em razão das manifestações que vêm sendo promovidas em todo o país pelo setor de transporte rodoviário de cargas – contra a política de preços de combustíveis adotada pela Petrobras -, as empresas que atuam no sistema de transporte por ônibus no Município do Rio de Janeiro estão com o abastecimento de óleo diesel criticamente impactado, sob o risco iminente de falta de combustível para suas operações já a partir desta quarta-feira (23/05).

Vale destacar que grande parte das empresas de ônibus que circulam no Município do Rio utilizou os últimos estoques de combustível para operar nesta terça-feira (22/5). O sistema que serve à capital fluminense consome, em média, 764 mil litros de combustível por dia, um volume que torna complexo o abastecimento da frota neste cenário de escassez de oferta de óleo diesel.

O Rio Ônibus consultou a Associação Nacional dos Distribuidores de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural), que confirmou a escassez de combustível no Município do Rio.
As empresas consorciadas estão demandando todos os esforços para que a população não seja prejudicada e a operação seja mantida pelo máximo de tempo possível. Entretanto, diante da falta de combustível, a operação de transporte por ônibus na capital fluminense terá que ser racionalizada já nesta quarta-feira (23/5).

Caso a situação não seja normalizada o mais brevemente possível, há risco de paralisação total do sistema a partir de amanhã.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Tarifa zero uma nova realidade

Há exatos sete anos, em setembro de 2015, o transporte público passou a integrar o Artigo 6º da Constituição como um direito social, assim como a educação, a saúde, o trabalho, o lazer, a segurança, entre outros itens. Apenas recentemente, no entanto, pôde-se verificar a adoção de medidas práticas, para assegurar esse direito constitucional. Uma

// LEIA MAIS

É preciso inovar para melhorar os transportes

Os sucessivos reajustes no preço dos combustíveis, particularmente do etanol, da gasolina e do óleo diesel, têm preocupado governantes, autoridades responsáveis pelos órgãos gestores da mobilidade urbana, operadores de transportes coletivos, proprietários de veículos de carga e de automóveis e, em especial, os usuários do transporte coletivo urbano de passageiros das principais cidades brasileiras. Nos

// LEIA MAIS

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS


powered by MailChimp!
Scroll to Top